Fórum apresenta avanços do Plano Estratégico em MS e desafios para as próximas etapas do PNEFA

345
0

Presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito, destacou os aspectos positivos da retirada da vacinação contra febre aftosa.

O significativo avanço da agropecuária de Mato Grosso do Sul e os aspectos positivos ao setor produtivo com a retirada da vacinação contra a febre aftosa. Esses foram os principais pontos da palestra do presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito, ministrada no III Fórum do Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa – PNEFA, nesta quinta-feira (17), em formato on-line.

Mauricio Saito, Presidente da Famasul

“A retirada da vacina é a etapa final para alcançarmos o maior nível sanitário global: livre de aftosa sem vacinação. Mato Grosso do Sul alcançando esse status colocará sua produção no mesmo patamar de importantes players do mercado, reforçando a confiabilidade do setor e seu comprometimento em ampliar sua competitividade, impulsionando o desenvolvimento econômico do estado”, destacou Saito.

O secretário Jaime Verruck, presidente do Comitê Estadual do Plano Estratégico do PNEFA, falou dos avanços do programa e das metas nacional e estadual.

“Este é um projeto extremamente importante para a economia do estado e para quem aqui produz. A iniciativa depende exclusivamente da ação da classe produtora. Chegamos em um grau onde é possível retirar a vacina contra febre aftosa, e é sabido que os estados que já retiraram a vacina registram ganhos. Todas as medidas necessárias já estão encaminhadas”.

O superintendente da SFA, Celso Martins, ressaltou a importância da difusão de informação. “A realização de um fórum como este é fundamental para discutirmos a retirada da vacinação, pois caminhamos rumo à evolução. É uma responsabilidade de todos conquistarmos as condições necessárias para que a retirada da vacinação aconteça, pois será um reflexo dos trabalhos realizados hoje”, comenta.

“É uma grande honra apresentar os avanços Do PNEFA, que envolvem mais do que a retirada da vacinação, mas também elevar o status sanitário do estado, valorizar nosso produto e o envolvimento do produtor”, destacou o diretor-presidente da Iagro, Daniel Ingold.

Para Chefe de Divisão de Febre Aftosa do Mapa, responsável pelo programa nacional de Febre Afotsa, Mato Grosso Sul tem um impacto dentro do programa. “Juntamente com MT, o MS faz parte de uma importante fronteira, estando no coração do Brasil. Precisamos mudar paradigmas e, para isso, é essencial o papel dos produtores rurais. Nesse sentido, a Famasul tem contribuído muito, com representatividade e empenho em conjunto com todos os segmentos”.

Sobre o Fórum

Voltado a produtores rurais, profissionais da área de indústria e comércio de insumos pecuários, profissionais de ciências agrárias e estudantes, o evento virtual foi transmitido pelo Youtube, das 14h às 18h, com palestras de Ana Carolina Botelho, auditora fiscal do Mapa, sobre “Situação da Febre Aftosa e os avanços do Plano Estratégico – PNEFA Brasil”; Antônio Carlos Carvalho de Souza, presidente da FESA/ MT, sobre a “Importância da Estruturação de fundos privados para a defesa sanitária animal”; e Daniel Ingold, com “Ações para implantação do Plano Estratégico 2017-2026 no estado de MS.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here